Oficina da Aesga, 23° Festival de Inverno de Garanhuns

Aesga

FINANCIAMENTO COLABORATIVO PARA PROJETOS CULTURAIS (CROWDFUNDING)

A oficina de Financiamento Colaborativo para Projetos Culturais visa orientar artistas e produtores culturais na utilização de ferramentas digitais e colaborativas para captação de recursos e realização de seus projetos. Com o Portal Nos Acuda (http://www.nosacuda.com.br/), as facilitadoras orientam sobre técnicas de Marketing Cultural, Elaboração de Projetos e Comunicação Digital. Os participantes irão publicar no Portal os seus projetos culturais readequados pela ação.

Público Alvo: Produtores e gestores culturais
Vagas: 30
Data: 23 a 26 de Julho
Horário: 14 às 18h
Local: AESGA - Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns
Facilitadores: Dora Dimenstein e Hericka Araújo, do Portal NosAcuda.

FUNCULTURA – MÚSICA

A atividade propõe orientar os participantes sobre o cadastro de produtor cultural e o edital do Funcultura na área da música e as diversas linhas de atuação referentes ao edital para a linguagem.
Público Alvo: produtores culturais e profissionais da área de música, e pessoas interessadas em música em geral.
Vagas: número indeterminado
Data: 27 de julho
Horário: 14h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns (auditório)
Facilitadores: Coordenadoria de Música – Secult/PE, Fundarpe e Funcultura

FUNCULTURA – FOTOGRAFIA

A atividade propõe orientar os participantes sobre o cadastro de produtor cultural e o edital do Funcultura na área de fotografia e as diversas linhas de ação propostas no edital para a linguagem.
Público Alvo: produtores culturais e profissionais da área de fotografia, e pessoas interessadas em fotografia em geral.
Vagas: número indeterminado
Data: 25 de julho
Horário: 16h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns (auditório)
Facilitadores: Coordenadoria de Fotografia – Secult/PE, Fundarpe e Funcultura

FUNCULTURA – PATRIMÔNIO

A atividade propõe orientar os participantes sobre o cadastro de produtor cultural e o edital do Funcultura, no que se refere a patrimônio material e imaterial cultural e suas diversas linhas de ação.
Público Alvo: produtores culturais e profissionais da área de patrimônio, e pessoas interessadas em cultura patrimonial em geral
Vagas: número indeterminado
Data: 25 de julho
Horário: 14h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns (auditório)
Facilitadores: Diretoria de Patrimônio – Secult/PE, Fundarpe e Funcultura-PE

SISTEMA NACIONAL DE CULTURA

O Sistema Nacional de Cultura (SNC) é um modelo de gestão criado pelo Ministério da Cultura (MinC) para estimular e integrar as políticas públicas culturais implantadas por governo – estados e municípios. O objetivo do sistema é descentralizar e organizar o desenvolvimento cultural do País, para que todos os projetos tenham continuidade, mesmo com a alternância de governos. Funciona da seguinte forma: estados e municípios assinam o termo de adesão ao SNC e, a partir daí, se comprometem a implantar no município ou no estado a estrutura cultural exigida pelo ministério. Em contrapartida, o MinC oferece todo o apoio para o desenvolvimento de políticas culturais. Esta roda de diálogo pretende divulgar o SNC e orientar o público presente sobre como deve ser feita a adesão em prol dos estados e municípios.
Público Alvo: gestores públicos
Vagas: número indeterminado
Data: 24 de julho
Horário: 15h às 17h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns (auditório)
Facilitadores: Fernanda Matos (MinC/RE) e Teca Carlos (Secult/PE)

Confeitaria

A oficina traz atividades práticas de confeitaria nas quais os participantes terão a oportunidade de aprender técnicas da confecção e decoração de bolos e cupcakes, dando ênfase a trabalhos com bicos de confeitaria nos diversos tipos de glacês e merengues, a partir de temas diversos. Este tipo de atividade, a confeitaria, é muito bem aceito, tanto para a produção de festas caseiras como atividade informal, quanto para o mercado de trabalho formal em padarias, delicatesses, lanchonetes etc.
Público Alvo: a partir dos 18 anos, público em geral, com ou sem experiência.
Vagas: 20
Data: 22 a 26 de Julho
Horário: 14 às 18h
Local: Escola Municipal Ranser Alexandre Gomes
Facilitadores: Nadjane Cavalcante da Silva Burkhardt e Gustavo Burkhardt. Nadjane possui licenciatura em desenho e plástica pela UFPE, graduação em gestão pública, pela Uninter, e pós-graduação em alta gastronomia, pela Faculdade Universo (Recife). Ministrou cursos pelo Sesc, Senac e Senai, e participou de diversos circuitos e congressos na área de gastronomia. Gustavo é artista plástico e professor que, dentre suas especialidades, desenvolve trabalhos de pintura hiper-realista comestível em bolos (utilizando pasta americana).

Financiamento Colaborativo para Projetos Culturais

A oficina visa orientar artistas e produtores culturais na utilização de ferramentas digitais e colaborativas para a captação de recursos e realização de seus projetos. Com o Portal Nos Acuda, as facilitadoras orientam sobre técnicas de marketing cultural, elaboração de projetos e comunicação digital. Os participantes irão publicar no portal os seus projetos culturais readequados pela ação.
Público Alvo: Produtores e gestores culturais
Vagas: 20
Data: 22 a 24 de Julho
Horário: 14 às 18h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns
Facilitadores: Dora Dimenstein e Hericka Araújo

Coco e suas Vertentes

O ritmo, a dança e o canto são as linguagens desenvolvidas nesta oficina , que traz como principal objetivo proporcionar aos participantes uma vivência com o universo diverso do coco. Oriundo de Paratibe – PE, terra de Kinho dos Caetés, o Coco de Umbigada tem uma tradição de mais de 100 anos, sendo a zabumba seu instrumento base e sua batida bastante característica e singular. Nas atividades da oficina também serão trabalhadas outras variações rítmicas, mais especificamente o coco de praia desenvolvido em Olinda e o samba de coco característico do Sertão de Pernambuco. Segundo Beth da Oxum, ao final da vivência os participantes serão capazes de formar uma roda de coco com todas as suas etapas e características tradicionais.
Público Alvo: público em geral, a partir dos 7 anos.
Vagas: 20
Data: 22 a 26 de Julho
Horário: 14 às 18h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns
Facilitadores: Beth de Oxum, Kinho dos Caetés e Luciano Santos – Ponto de Cultura Coco de Umbigada.

Cinema de Animação

A oficina transporta um universo completo de cinema de animação, com exposição de materiais e equipamentos, e uma mostra de filmes e vídeos do segmento de realizadores da região Nordeste. O Ponto de Cultura Cine de Anima é coordenado por Lula Gonzaga e traz uma oficina para pessoas que gostam de desenhar e querem entender como uma animação é elaborada. As aulas estimulam a prática de técnicas básicas de animação e passa dicas de como montar sua própria mesa de desenho e outros equipamentos de forma alternativa, com baixo custo, para mergulhar nas ideias e na prática do cinema de animação.
Público Alvo: público em geral, a partir de 12 anos e que goste de desenhar
Vagas: 20
Data: 22 a 26 de Julho
Horário: 14 às 18h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns
Facilitadores: Lula Gonzaga e Paulo Jr. – Ponto de Cultura Cine Anima

Mangaio de Versos: A Poética Sertaneja como Ferramenta de Composição

A oficina busca trabalhar a poética e a oralidade popular, com ênfase no improviso como ferramenta de composição. Se propõe a destrinchar as semelhanças e as diferenças entre as variantes da poesia oral das manifestações tradicionais de Pernambuco: cantoria de viola, coco, maracatu de baque solto, ciranda, aboio, toadas, cavalo marinho e cordel. Além disso, o participante irá apreender a estrutura da poesia oral que permeia estas tradições: rima, métrica, oração e improviso. Também será construído, junto aos alunos, processos de composição dentro das modalidades de poesia popular (quadra, sextilha, septilha).
Público Alvo: pessoas que gostem da temática sertaneja, compositores, cantores e músicos em geral.
Vagas: 25
Data: 22 a 26 de Julho
Horário: 14 às 18h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns
Facilitadores: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns Facilitador: Adiel Luna é artista ligado às tradições populares da música e da literatura.

O Livro em Cena

O workshop se vale de leituras dramatizadas, declamações, recursos audiovisuais e canções para traçar uma breve viagem por alguns gêneros literários, a fim de apresentar a literatura de forma mais orgânica. Para isso, faz uso de outras linguagens, interagindo diretamente com o público, sensibilizando-o para a leitura.
Público Alvo: a partir dos 18 anos, público em geral, preferencialmente educadores da rede pública ou particular.
Vagas: 20
Data: 22 a 24 de Julho
Horário: 14 às 18h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns
Facilitadores: Stephany Metódio, atriz, arte-educadora, contadora de historias, performer literária e produtora cultural. Graduanda em letras pela UPE e em secretariado executivo bilíngue pela Fahug. Alexandre Revoredo, produtor cultural, músico, escritor, estudante de letras (UPE Garanhuns).

Declarações, Poesias, Contos e Causos

Tem como objetivo despertar e influenciar o gosto pela poesia e declamação, tornando-os seguidores e multiplicadores da boa leitura, através das poesias, causos, contos, e literatura.
Público Alvo: Pessoas que gostam de literatura, poesia, contos e causos, inclusive professores e estudantes, de todas as idades.
Vagas: 15
Data: 22 a 26 de Julho
Horário: 14 às 18h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns
Facilitadores: Cesar Monteiro Fausto, escritor, poeta e declamador nascido em Brejão/PE. Tem três livros lançados: “Sociedade dos poetas vivos João Cabral de Melo Neto” (1999), “Casulo da alma” (2001) e “Triclopes” (2006).

Como Arrumar a sua Banda

Com o intuito de capacitar músicos de bandas alternativas do Sertão do Moxotó, a oficina aborda temas como: mercado cultural; formação de conceito/marca; utilização de técnicas de marketing na música; algumas dicas para as bandas (comportamentos); documentação de banda (sinopse, currículo, mapa de palco, iluminação, set list, rider técnico e clipagem); sustentabilidade, autogestão e elaboração de projetos culturais (utilizando o Funcultura como modelo).
Público Alvo: A partir de 18 anos, público de bandas em geral.
Vagas: 20
Data: 22 a 26 de Julho
Horário: 14 às 18h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns
Facilitadores: Taciana Enes

FOTOLIBRAS

A oficina de FotoLibras visa desenvolver a conexão da língua brasileira de sinais – a Libras, com a linguagem fotográfica. Tem como fio condutor a utilização da fotografia como alicerce de expressão e comunicação, contribuindo para a integração da comunidade surda na sociedade. Busca de modo participativo contribuir para o desenvolvimento da produção/consumo cultural dos sujeitos envolvidos, propondo, a partir da experimentação com a linguagem artística, fortalecer a criatividade dos participantes. Entre suas atividades, propõe a construção e a utilização de tubos de imagem, molduras de papelão, além da prática fotográfica, finalizando com uma exposição das imagens produzidas.
Público Alvo: Jovens e adolescentes surdos (as), a partir dos 12 anos (de preferência levar qualquer tipo de câmera digital).
Vagas: 20
Data: 22 a 26 de Julho
Horário: 14 às 18h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns
Facilitadores: Vanessa dos Santos Marques, Creuza Silva, João Helder e Vládia Freitas Ferreira Lima.

Videoclipe Produção e Difusão em Plataformas da Web

Desde a sua origem na década de 1970, o videoclipe tem sido definido como um gênero eminentemente televisivo. A partir do Youtube, a internet transformou seu percurso, revelando-se o espaço e o veículo fundamental para a divulgação desta ferramenta e de bandas. A oficina propõe o repasse de noções básicas de estratégias de difusão de conteúdo na internet, bem como do próprio processo de produção em plataformas on-line. Nas suas atividades, trabalhará com os participantes estratégias de comunicação, através da linguagem do videoclipe, com ênfase em plataformas de produção e difusão na internet, através de prática com câmeras, passando pela decupagem, edição, finalização e divulgação online.
Público Alvo: Público em geral, preferencialmente músicos e produtores culturais.
Vagas: 20
Data: 22 a 26 de Julho
Horário: 14 às 18h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns
Facilitadores: Jean Santos, bacharel em comunicação social – rádio, tv e internet pela UFPE e licence lettres, langues et arts – média et médiation culturelle, pela Université Blaise Pascal – Clermont- Ferrand / França (intercâmbio acadêmico). Jean Santos tem no seu rol de experiências a atuação como diretor audiovisual, roteirista e diretor de arte da produtora Vicioclipes, da qual é fundador, desenvolvendo diversos videoclipes, dentre os quais “Barra”, da Feiticeiro Julião; “Roendo o ócio”, da Banda Insula; além de curtas-metragens “Aqui mora uma pessoa feliz!” e “Corpo urb” (ficção digital).

O Despertar para Joias Artesanais

A oficina traz a importância sociocultural de uma técnica artesanal secular, com o propósito de oferecer uma possibilidade de geração de renda, contribuindo para a economia criativa do estado. Trará uma linha de tempo onde os participantes aprenderão a alquimia de forjar metais, misturando e fundindo a prata e o cobre, e utilizando técnicas de laminação e acabamento.
Público Alvo: A partir de 18 anos, público em geral.
Vagas: 20
Data: 22 a 26 de Julho
Horário: 14 às 18h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns
Facilitadores: Nivaldo Jorge da Silva é artesão joalheiro autodidata, com 33 anos de profissão. É conhecedor de várias técnicas em metais não ferrosos e representante dos trabalhadores artesãos do Brasil.

Transmissão de Saberes: Patrimônio Vivo TEA (Centro Experimental de Arte)

O trabalho de interpretação é uma etapa prioritária na construção teatral. Nesta ação, pode-se descobrir nuances que valorizam a exposição de uma obra literária, dando-lhe as inflexões, intenções e sentimentos corretos de uma dramatização, utilizando recursos da inflexão, projeção e articulação vocal. A oficina tem como objetivo oferecer noções técnicas e fundamentais para uma interpretação de texto, valorizando a ação dramática através da subjetividade e das entrelinhas do texto para melhor desenvolver uma linha de interpretação no recurso estilístico.
Público Alvo: Estudantes da rede pública e privada de ensino e público em geral, a partir de 19 anos.
Vagas: 20
Data: 22 a 26 de Julho
Horário: 14 às 18h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns
Facilitadores: Charles Xavier e Fábio Pacoal (TEA – Teatro Experimental de Arte). Considerado o segundo mais antigo grupo de teatro de Pernambuco, com 46 anos de atividades permanentes, o TEA foi fundado em Caruaru no dia 16 de julho de 1962.

Conhecendo e Aplicando as Legislações de Preservação do Patrimônio Cultural

A oficina tem por objetivo nutrir o público participante de informações quanto à preservação legal do patrimônio cultural de Pernambuco e do Brasil, conhecendo na prática a aplicação dessas legislações.
Público Alvo: Gestores municipais de cultura, professores, vereadores e pessoas interessada no tema.
Vagas: 30
Data: 24 e 25 de Julho
Horário: 14 às 18h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns
Facilitadores: Augusto Paashaus, Ulisses Pernambucano e Roberto Carneiro, da DPCULT Diretoria de Preservação Cultural da Fundarpe, e Fabiana Dantas do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Elaboração de Projetos Culturais: Funcultura – Fotografia

O Funcultura Independente é uma referência como financiamento cultural no Brasil. Esta oficina visa facilitar a compreensão dos produtores culturais de Pernambuco sobre os diversos aspectos que envolvem um projeto cultural em fotografia. As aulas contarão com momentos teóricos e atividades práticas, abordando conceitos básicos das políticas de cultura no Brasil, tipos de financiamentos de cultura e elementos de um projeto cultural, em especial no que se refere à linguagem da fotografia.
Público Alvo: Produtores culturais, estudantes e educadores da rede pública e particular de ensino e público em geral, a partir dos 18 anos.
Vagas: 20
Data: 22 a 26 de Julho
Horário: 14 às 18h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns
Facilitadores: Mariana Lima, bacharel em comunicação social/jornalismo pela UFPE e pós-graduada em gestão e produção cultural (ênfase em eventos culturais), tendo trabalhado como coordenadora, fotógrafa, assessora de imprensa e ministrante de oficina em diversos projetos culturais, além de participar na edição 2011/2012 da Comissão de Análise Técnica dos projetos de fotografia do edital Funcultura.

Literatura Moçambicana: Imaginando o Imaginário da Cultura Africana

A oficina se propõe a estudar as narrativas moçambicanas, observando suas fases de desenvolvimento e suas relações com as questões históricas, culturais e tradicionais. Embora a lei 10.639, que insere no currículo escolar a obrigatoriedade das contribuições da cultura, da história, da língua e da literatura africana, esteja em vigor há alguns anos, nota-se uma carência em práticas que contemplem esses pontos. A oficina abrangerá apreciação de textos ficcionais, de poesia e exibição de documentários com estudos de grandes nomes da literatura como, Noêmia de Souza, Fonseca do Amaral, Mia Couto e Suleiman Cassamo, entre outros.
Público Alvo: A partir de 19 anos, público em geral, preferencialmente educadores da rede pública e particular de ensino e pessoas de comunidades quilombolas.
Vagas: 25
Data: 22 a 26 de Julho
Horário: 14 às 18h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns
Facilitadores: Suelany Mascena, doutoranda em teoria da literatura – UFPE, que já ministrou diversos minicursos na área, e Paulo André Viana, encenador, arte-educador, produtor cultural e contador de histórias. Desde 1988, Paulo participa de cursos ligados ao teatro e à literatura, tendo ministrado diversas oficinas em Pernambuco.

Descobrindo o Palhaço

A oficina tem como objetivo compartilhar técnicas do palhaço brasileiro e pesquisar a poética do riso de cada um. As técnicas de palhaço aplicadas nesta oficina estimulam a pesquisa da dramaturgia circense, promovendo, assim, o conhecimento e a divulgação das gags e dos números cômicos dos palhaços brasileiros. Farão parte das atividades da oficina dinâmicas aplicadas à prática do palhaço, treinamento de clacs, gags e cascatas, pesquisa do gestual do palhaço brasileiro, entre outros experimentos e práticas.
Público Alvo: Público em geral entre 19 e 24 anos
Vagas: 20
Data: 22 a 26 de Julho
Horário: 14 às 18h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns
Facilitadores: Bóris Marques, formado pela Picadeiro Circo Escola de São Paulo e um dos fundadores da Escola Pernambucana de Circo. Atualmente coordena o Projeto Pirueta Social e dirige sua companhia, a Cia Brincantes de Circo, além de fazer a coordenação, supervisão técnica e montagem do Festival de Circo Nacional desde 2009.

Mãos à Obra

A oficina traz como proposta inicial a partilha de experiência de um ator- animador com bagagem de mais 20 anos de pesquisa, ensino e atuação como diretor e ator. A oficina oferece um breve panorama histórico do teatro de animação. Serão trabalhados os princípios da animação e exercícios técnicos dos conceitos do próprio corpo e das mãos.
Público Alvo: A partir de 17 anos, pessoas com experiência em teatro
Vagas: 15
Data: 23 a 26 de Julho
Horário: 14 às 18h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns
Facilitadores: Cia Experimentus Teatrais (SC) – Marcelo F. de Souza. Em sua trajetória, ele atuou em diversos espetáculos. Desde 1996 mantém no repertório o espetáculo-solo “Brincando de bonecos”, pelo qual recebeu prêmios de melhor espetáculo, melhor ator e melhor dramaturgia em importantes festivais do Brasil.

Oficina de Teatro Lambe-Lambe: Caixa Misteriosa

Conhecido como o menor teatro do mundo, o lambe-lambe provoca no público um encantamento poético, inserido no meio da balbúrdia das cidades grandes, e propicia um mergulho em um universo paralelo. Entre as atividades propostas na oficina, estão princípios básicos de manipulação, construção da caixa mágica com iluminação e concepção de sonoplastia e intervenção. Partindo da utilização de objetos e materiais simples, como caixa de papelão, ao final da oficina os participantes terão iniciado seu primeiro espetáculo de teatro lambe-lambe.
Público Alvo: partir de 16 anos, artistas, educadores das redes particular e pública de ensino e público em geral
Vagas: 20
Data: 22 a 25 de julho
Horário: 14 às 18h
Local: Aesga – Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns
Facilitadores: Laércio José do Amaral e Joçânia Maria Fornari, da Cia Andante (SC), uma referência no processo de formação de caixeiros do teatro lambe-lambe, ministrando oficinas em diversos festivais e eventos, tendo como prática manter contato com seus alunos, estimulando a continuidade do desenvolvimento da linguagem.        

Postagens Relacionadas
Anterior
« Anterior
Proxima
Proxima »