Greve dos bancários também afetará Garanhuns

Os bancários de todo o país iniciam, nesta quinta-feira (19), paralisação em protesto por aumento salarial. A categoria - que é representada em Pernambuco por cerca de 12 mil trabalhadores - já havia decidido iniciar a greve na última reunião da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), na semana passada. A decisão de organizar o movimento foi confirmada após a categoria ter rejeitado proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), que ofereceu reajuste de 6,1%. Os trabalhadores exigem aumento de 11,93%.

Há divergências também em relação à participação nos lucros e resultados: enquanto a Fenaban oferece 90% do salário mais fixo de R$ 1.633,94, os sindicatos querem bônus de três salários acrescidos de R$ 5.553,15. Ainda não há informações sobre o grau de adesão dos trabalhadores à manifestação. 

O SEEB Garanhuns e Região realizou uma Assembléia de articulação para a greve, onde bancários de todos os bancos da base estiveram presentes, traçando metas e estratégia para a paralisação. Veja o que foi decidido:

O SEEB GARANHUNS E REGIÃO fará proposta à federação, para o não pagamento das horas paradas na greve.

NA CAIXA ECONÔMICA de Garanhuns e nas das outras cidades da base, haverá paralisação, com comitê de conscientização popular, nas portas das agências. Mais de 80% dos bancários da Caixa aderiram à greve.

SANTANDER vai parar. Apesar de uma menor adesão a greve, o banco Santander, também estará fechado, por tempo indeterminado, com comitê de conscientização popular na frente das agências.

BANCO DO BRASIL vai parar. Mais de 60% dos bancários do BB aderiu à greve, e as agências não funcionarão, até que haja negociação digna.

NO BANCO DO NORDESTE, haverá paralisação, porém os bancários sindicalistas se negaram, a fazer comitê de conscientização popular na frente das agências.

BRADESCO E ITAÚ não aderiu à greve, e por isso os bancos funcionarão normalmente, com atendimento ao público. Nesses dois casos, o SEEB Garanhuns e Região disponibilizará fiscal, que ficará nas portas das agências, dos referidos bancos, para garantir que a população seja bem atendida, e que os boletos de todo e qualquer banco, sejam recebidos, prontamente pelo Bradesco e o Itau. Os fiscais do SEEB estão habilitados, para acionar os orgãos de defesa do consumidor, caso os bancos que não fecharam se nege a atender a população.

ESTRATÉGIAS DE PARALISAÇÃO: Nos dois primeiros dias da greve, os bancários sindicalistas se concentrarão em Garanhuns, fazendo manifestações nas portas das agências, nos dias seguintes, haverá deliberação de delegações, para dar suporte aos bancários em greve nas cidades de Agues Belas, Bom Conselho, Brejão, Caetés, Calçado, Canhotinho, Capoeirs, Correntes, Iatí, Itaíba, Jupí, Jurema, Lajedo, Lagoa de Ouros, Palmeirina, Paranatama, Quipapá, Saloá, São João e Terezina.

Todos os dias da paralisação haverá reunião para balanço do dia, às 05h00minhs no auditório do SEEB Garanhuns, onde serão definidas novas estratégias de luta.

“Os Bancários estão indignados com as metas diárias e abusivas, com o adoecimento de diversos colegas nos locais de trabalho, esse é o momento de dar um basta nessa situação. Vamos construir uma forte greve e mostrar aos banqueiros que merecemos muito mais do que eles propuseram.” Afirma Alberto Flávio, Presidente do SEEB Garanhuns e Região.

A luta dos bancários por melhores condições de trabalho é um direito assegurado pela lei de greve n° 7.783/89, e essa mobilização é fruto da consciência democrática, a classe trabalhadora é responsável pelos lucros dos bancos. Toda essa luta refletirá numa sociedade mais justa, e a melhoria salarial dos bancário e uma maior contratação, resultará num melhor atendimento ao cliente. 


Postagens Relacionadas
Anterior
« Anterior
Proxima
Proxima »